Bienal de Luanda

A 24ª sessão da Assembleia da União Africana adoptada em Janeiro de 2015, a Decisão 558/XXIV solicitando à Comissão da União Africana para «tomar todas as medidas adequadas, em consulta com a UNESCO e o Governo da República de Angola para a organização do Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz em África, Bienal de Luanda».

Durante sua visita oficial à França no final de Maio de 2018, o Presidente da República de Angola, Sua Excelência o Sr. João Manuel Gonçalves Lourenço reuniu-se com a Directora Geral da UNESCO, Sra. Audrey Azoulay, e reafirmou seu compromisso de sediar o «Fórum Pan-Africano para uma Cultura de Paz em África, Bienal de Luanda» em parceria com a UNESCO e a União Africana, cuja primeira edição terá lugar em Setembro de 2019.

O evento continental é parte da implementação da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas, incluindo o Objectivo do Desenvolvimento Sustentável 16 e aspirações da Agenda 2063 da União Africana e suas iniciativas, «A Agenda para a Paz» e «Silenciar as Armas até 2020» terá como objectivo promover uma cultura de paz e não-violência em África. Faz ainda parte da estratégia operacional da UNESCO para a Prioridade África (2014-2021) que visa «trazer respostas africanas às transformações que afectam suas economias e sociedades».

A primeira edição da Bienal de Luanda terá lugar de 18 a 22 de Setembro, no espaço em torno do Museu Nacional de História Militar, aproveitando-se as infraestruturas do próprio museu. Pretende-se que seja um espaço de reflexão, difusão de obras artísticas, ideias e conhecimentos relacionados com a cultura de paz e não-violência, reunindo representantes de governos, sociedade civil, comunidade artística e científica, instituições académicas e organizações internacionais.

Esta edição de Setembro de 2019 vai decorrer em torno de quatro eixos: um fórum intelectual, orientado para o futuro da África; um Festival de Culturas onde os países africanos e a Diáspora podem mostrar a sua diversidade cultural e resiliência ao conflito e violência; eventos culturais, desportivos e musicais de classe mundial e a mobilização de recursos e parceiros para apoiar projectos em todo o continente africano.

Foram convidados 16 países, entre africanos e da diáspora, contando-se com a participação de 600 participantes internacionais e 1000 angolanos.

Pretende-se que haja uma cerimónia solene de abertura, no dia 18 de Setemebro, com a presença dos Chefes de Estado do Egipto, da Etiópia, do Mali, do Congo Brazzaville e da Áfria do Sul e convidados. A celebração do Dia Internacional da Paz, a 21 de Setembro, terá lugar na cidade de Benguela dia, com a realização do Fórum de reflexão em torno do papel da mulher na cultura da paz e de um concerto de vozes femininas.

A cerimónia de encerramento contará com um grande concerto musical com a participação de músicos africanos.