Bienal de Luanda 2021: UNESCO, União Africana e Governo de Angola reúnem-se em Luanda para a segunda edição do “Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz”

Luanda, 27 de Novembro – A Bienal de Luanda – “Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz” foi lançada esta manhã em Luanda (Angola), num formato híbrido. A cerimónia de abertura contou com a presença de vários Chefes de Estado e de Governo de África e da diáspora, incluindo João Manuel Gonçalves Lourenço, Presidente de Angola, Denis Sassou-Nguesso, Presidente da República do Congo, Félix Tshisekedi, Presidente da República Democrática do Congo, Carlos Vila Nova, Presidente da República de São Tomé e Príncipe, Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente de Portugal e Epsy Campbell Barr, Vice-Presidente da Costa Rica. Xing Qu, Director-Geral Adjunto da UNESCO e Josefa Leonel Correia Sacko, Comissária para a Economia Rural e Agricultura, Comissão da União Africana estiveram também presentes.

A Bienal de Luanda é uma iniciativa conjunta da UNESCO, da União Africana (UA) e do governo angolano para promover a prevenção da violência e a resolução de conflitos. A Bienal deste ano é celebrada sob o tema da União Africana de 2021, “Artes, Cultura e Património: Alavancas para a Construção da África que Queremos”.

“A Bienal é uma iniciativa crucial que ecoa o preâmbulo da Constituição da UNESCO, que nos lembra que ‘uma paz baseada unicamente nos acordos económicos e políticos dos governos não pode assegurar o apoio unânime, duradouro e sincero dos povos…'”, recordou Xing Qu, Director-Geral Adjunto da UNESCO.

Foi também realizado um Diálogo Intergeracional entre várias personalidades de alto nível do continente e das diásporas, e jovens líderes africanos e afrodescendentes, em torno do tema central “Diversidade Cultural e Patrimonial de África e das suas diásporas”: marca de conflito ou terreno fértil para a paz?”.

Milouda Bouichou, uma jovem líder de Marrocos, sublinhou a importância de envolver os jovens num evento deste tipo: “Os jovens estão no centro das transformações sociais”, disse ela.

Este primeiro dia terminou com o Festival das Culturas, um espaço de intercâmbio entre as identidades culturais de África e as suas diásporas, e um ponto de encontro privilegiado para as artes, culturas e património como instrumentos de diálogo, compreensão mútua e tolerância.

A Bienal de Luanda continuará até 2 de Dezembro. Nos dias 29 e 30 de Novembro, serão realizados os Fóruns Temáticos e de Melhores Práticas, com o objectivo de estimular a implementação de iniciativas emblemáticas para África. A cerimónia de encerramento terá lugar a 30 de Novembro, durante a qual será lançada a Aliança de Parceiros, uma parceria global, multi-sectorial e intersectorial para a cultura de paz, que conduzirá a sessões de parceria privada nos dias 1 e 2 de Dezembro.

Os eventos culturais do Festival das Culturas continuarão a realizar-se pessoalmente e em linha todos os dias até 30 de Novembro.

A Bienal de Luanda combina eventos presenciais e online, e é transmitida na “Biennale TV”, de acesso livre a partir do website da Bienal, com interpretação em inglês, francês e português.

Posted in Bienal 2021, Eventos